Páginas

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Volatilis

A humanidade se perde
pelo motivo que a fez andar,
pela razão que a fez começar
toda essa loucura atrás de uma coisa só
como se vários fragmentos
se juntassem num único lugar
em poucos e raros momentos,
em que todos os medos são esquecidos,
todos os pensamentos,
recomeçados
para um raro momento furta-cor.
A humanidade brinda o amor
e ensaia voar,
e alça vôo
voa.
Vivian Pinto
Aproveitando o embalo para falar que amar é mais que voar, é flutuar.  É esquecer dos medos, mesmo que eles estejam fresquinhos na sua mente. É sorrir sem motivo. Pra mim, é perder a hora olhando pros seus olhos verdes. É sem mais nem menos, amor.
Beijos :*

5 comentários:

mente inconstante disse...

Apaixonadíssima mesmo, né? E eu felicíssima por ver você feliz. :)

Edson disse...

Os sentimentos que reger a vida.
É tão bom ser jovem sonhador e isso é um balsamo que não tem preço.

Aprosito:Qual o preço dos lábios delicados,pedindo para ser beijada loucamente?
Como conquistar o sorriso que trás desejos de tamanha formosura?

Tenha uma boa tarde Vivian Pinto.

Edson Souza
São Paulo - Capital

Deh disse...

Sentí algo do idealismo de John Lennon tão forte nesse teu texto.. E deu uma alegriazinha, uma vontade de buscar a liberdade..

Bjão, flor.

cecilia disse...

Tão delicado o vôo do amor não?afinal amar se tem tantas maneiras e a mais linda que quando é verdadeiro,quando se perde o tempo ao lado um do outro,ou simplesmente,quando voamos pra longe mais sem nenhum medo.
Adoro seus poemas,sei que sou suspeita,mas é verdade.
Beijo

Rebeca Amaral disse...

Quero pegar carona nesse vôo lindo!
Ah, não tem coisa melhor, não...
Lindo!

Beijo.