Páginas

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Quem sabe?

Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão
e mesmo assim eu não acreditei
prefiro acreditar no que eu vejo
e o que eu vejo? Eu não sei.
Qualquer dia eu chego no final do infinito,
acho o pote de ouro do arco-íris
e tiro foto sem flash no buraco negro
lá tem que ter algum foco de luz.
Nada é impossível.
Quem sabe amanhã ou depois, não sei
meu relógio-de-sol funcione a noite
e minha ampulheta não escorra pra baixo.
Quem sabe eu ache a vida na cidade da Morte
e o Apocalipse não acabe com o mundo.
Pode ser que um dia falemos Esperanto
que saibamos voar sem asa
ou que alguém mergulhe de cabeça na piscina rasa.
Mas minha meta é o fim do infinito.
E provar que além de serem de algodão
as nuvens são cor-de rosa e doces
assim como o amor e tudo que está no coração.



èr...Oi,bem?bom,é sou a Cecí,como prometi pra vivi estou postando os poemas que ela deixou comigo,porém resolvi não comentar o blog de vocês,pois achei melhor ela dar a opinião quando voltar né?porque com certeza iam preferir a opinião dela mesmo do que a minha (espero que ela entenda). Ontem eu falei com ela gente e lá tá muito frio 5 graus apenas =/ mas ela tá adorando.Tem mais umas 3 postagens comigo e postarei no decorrer dos dias.
Até logo.

2 comentários:

mente inconstante disse...

Como sempre digo: AMO suas palavras, Vivi. ADORO seus versos. E estou muito feliz de saber desse seu sonho que está virando realidade! Disney? Promete nos contar tudo em detalhes em um poema seu? Ceci, cuidando muito bem do blog. Saudades de ambas!!

deh ramos disse...

Oi, Vivi.. Ah, eu nem tenho mais palavras pra comentar teus poemas. Pow! Você escreve muito muito bem, garota! É sempre inspirador vir aqui. Queremos novidades na volta, sim?

Beijo grande!!